Meu aluno não aprende! E agora?

Meu aluno não aprende! E agora?

No dia a dia escolar são muitas as situações desafiadoras impostas aos professores como turmas grandes ou alunos com dificuldades psicossociais. Além delas os professores precisam compreender o que acontece com a criança que não consegue aprender.

Ao se deparar com essa criança o professore necessita diferenciar o que pode ser um sintoma passageiro daquilo que pode se perpetuar. As dificuldades de aprendizagem são descritas na literatura como passageiras, assim com ajuda adequada ela deve desaparecer. Diferentemente de situações de dificuldades advindas de transtornos de aprendizagem como: autismo, dislexia, discalculia, dificuldades provenientes de alterações neurológicas, entre outras. Nesses casos os sintomas podem ser atenuados, porém a dificuldade será sempre perceptível quando se comparar o desenvolvimento do sujeito ao desenvolvimento do grupo de mesma idade.

Entenda que o seu trabalho é parte importante nesse processo e que você pode fazer muito antes de encaminhar para especialistas. Então convido você a fazer uma reflexão sobre  o que pode ser feito para ajudar seu aluno.

  1. Quais são os sintomas que ele apresenta? (ex: desmotivação, diz que não sabe e não consegue, desiste facilmente das atividades).
  2. O que ele não aprende? (Detectar o que ele não sabe e comparar se ele está atrasado em relação ao grupo é importante. Imagine uma criança que não consolidou a noção de número e o professor inicia o conceito de soma. Com certeza ele apresentara dificuldades na soma, mas o seu problema está na aquisição do conceito de número). Compreender que a dificuldade nem sempre está no conceito trabalhado ajuda a buscar respostas sobre o que ele não aprendeu.
  3. Como é a relação do professor com esse aluno? (Houve um desenvolvimento do vínculo professor-aluno saudável?) A relação de carinho entre o aluno e o professor é imprescindível na aprendizagem;
  4. São apontadas as qualidades dessa criança em sala de aula? São feitos elogios nas situações em que ela se esforça? Quais são suas qualidades?
  5. Essa criança está passando por situações familiares que possam prejudicar o seu aprendizado? (Separação familiar, falecimentos, situações de vulnerabilidade social, agressões, etc).

Pense no seu aluno e escreva um resumo rápido apontando quais são as características positivas, negativas e as dificuldades de aprendizagem apresentadas por ele.

Inicie uma intervenção utilizando as características positivas, elogiando o aluno em todas as situações em que se sair bem.

 “Jogue limpo”!

Converse com a criança sobre as dificuldades que ela tem e pergunte se quer a sua ajuda, sempre demonstrando que você quer muito ajudá-la! Quando a resposta é positiva a criança se abre para o processo e passa a realizar o que o professor pede. Considere as características negativas que o atrapalham no aprendizado e pontue com ele se for necessário, mas lembre-se de terminar a conversa com elogios.

Inicie a sua intervenção a partir do que você identificou de dificuldade de conteúdo, mas lembre-se mantenha sempre o conteúdo em níveis mais fáceis e aumente a complexidade aos poucos!  Mantenha sempre os elogios!

Observe nas semanas seguintes para ver se ocorreram mudanças comportamentais positivas e na aprendizagem. As mudanças devem ser analisadas a partir dos critérios estabelecidos anteriormente e devem ser percebidas, mesmo que ocorram situações de recaída. Se houver sucesso no seu trabalho e as dificuldades do seu aluno desapareceram, parabéns, você e seu aluno são vitoriosos!

No entanto, se depois de um mês o seu aluno não apresentou mudanças comportamentais positivas ou melhoria no aprendizado, pode ser que vocês precisem de ajuda. Mas como nossa conversa está chegando ao fim, deixaremos a discussão desta ajuda para o nosso próximo bate papo, com o tema “Tentei ajudar meu aluno que não aprende, não consegui e agora?”

Beijos carinhosos.

Comentários

Sou a Cris Sousa, minha história na educação começou em 1989 com o curso de magistério.
De lá pra cá continuei estudando e assim fiz o curso de Pedagogia, licenciatura e pós graduação em educação física, pós graduação empsicopedagogia  e  neuropsicopedagogia com educação inclusiva e mestrado em educação.
Tenho seis livros de literatura infantil com foco na aprendizagem. Hoje, atuo em Clínica Psicopedagógica nos casos de aprendizado e não aprendizado. Diante das demandas que chegam ao meu consultório e a procura das escolas e dos professores por informações que os ajudem com os alunos que apresentam dificuldades ou transtornos de aprendizagem resolvi criar um site. Neste, existem duas áreas. A primeira se refere a área da família com informações sobre os profissionais especialistas que possam ajudá-los nas dificuldades apresentadas. A segunda se refere a área restrita aos profissionais, na qual os professores encontram atividades pedagógicas, jogos e ideias de diversos parceiros. Além de vídeos sobre os processos de aprendizagem, dificuldades e transtornos de aprendizagem. neurociências aplicada à educação, entre outros. Espero poder contribuir, um pouquinho na Educação do nosso país.

No Comments

Leave a Comment

Your email address will not be published.